Home / Destaque / Witzel acaba com incentivo à redução de mortes por policiais

Witzel acaba com incentivo à redução de mortes por policiais

Imagem: BETINHO CASAS NOVAS/ESTADÃO CONTEÚDO

O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), pôs fim ao incentivo à redução de mortes por policiais no Estado. A alteração ocorreu três dias depois do assassinato da menina Ágatha Félix, 8, e no mesmo dia em que ele voltou a defender sua política de enfrentamento na segurança pública.

De acordo com informações da Folha, o decreto foi assinado na segunda-feira, 23, e publicado nesta terça-feira, 24, no Diário Oficial. No documento, ele retirou as mortes por intervenção policial, que acontecem quando os agentes estão em serviço, do cálculo de um bônus salarial concedido, a cada semestre, a policiais militares e civis de batalhões e delegacias que diminuírem determinados índices de criminalidade em suas áreas.

O cálculo faz parte do Sistema Integrado de Metas (SIM), que está em vigor desde 2009 e havia sido criado na gestão de Sérgio Cabral (MDB). De 2011 até o primeiro semestre de 2019, as gratificações eram calculadas com base nos seguintes índices, que têm diferentes pesos: Homicídio doloso (intencional); Homicídio decorrente de oposição à intervenção policial; Latrocínio; Lesão corporal seguida de morte; Roubos de veículos; Roubos de rua (a transeuntes, em coletivos e de celulares).

Com a saída dos homicídios por policiais, entram, no cálculo, os roubos de carga. Ao serem procuradas, as polícias Civil e Militar não informaram qual é o valor máximo de bônus que um agente pode receber atualmente.

“Vemos essa desfiguração do sistema com muita preocupação, ainda mais num contexto em que o governo diz que vai tolerar mortes por policiais”, afirmou, em entrevista à Folha, o cientista político Pablo Nunes, pesquisador da Universidade Cândido Mendes que acompanha esses números há dez anos.

“Ainda que o SIM não seja uma política muito visível, tem um papel importante”, acrescentou. “O período em que o Rio teve a maior redução da criminalidade, por volta de 2012, foi justamente quando o sistema era muito mais forte, junto com as UPPs [Unidades de Polícia Pacificadora].”

De acordo com Nunes, foi a primeira vez que se estabeleceu metas para as polícias que podem ser acompanhadas pela população. No entanto, na época da gestão Cabral, as gratificações passaram a ser expandidas sem controle nem estudos, chegando a até cerca de R$ 15 mil por agente.

“O fato de o Witzel mudar o conjunto de indicadores para o cálculo é uma pá de cal na possibilidade de controlar a ação policial”, criticou Nunes.

Nos últimos cinco anos, o Rio tem apresentado um crescimento constante das mortes por policiais, batendo recorde a cada mês. Mesmo com a diminuição dos homicídios simples, os óbitos por intervenção de agentes públicos cresceram de 1.075, de janeiro a agosto de 2018, para 1.249 no mesmo período de 2019 —aumento de 16%. Em 2019, o crescimento vem na esteira de declarações de Witzel defendendo o “abate” de criminosos que portem armas, independentemente de haver reação.

O governo do Rio informou que o decreto altera os indicadores do SIM, mas não modifica o registro das mortes por intervenção de policiais, que continuarão sendo divulgadas pelo Instituto de Segurança Pública (ISP), nem os protocolos das operações.

“As mortes continuarão sendo devidamente apuradas pelas autoridades que compõem o corpo da segurança pública do Estado do Rio de Janeiro. Comprovada a culpabilidade, os agentes serão punidos”, ressaltou em nota.

LEIA TAMBÉM:

O post Witzel acaba com incentivo à redução de mortes por policiais apareceu primeiro em Mídia 4P.

Fonte: midia4p.cartacapital.com.br

Comentários

Veja Também

Monitor da Violência: Bahia é 3º estado com maior nº de pessoas mortas pela polícia no 1º semestre

As vítimas da violência em apenas uma semana no Brasil Foto: Editoria de Arte / ...

Modelo é solta dois anos após prisão por roubo em SP que ela nega: ‘Fui reconhecida como a criminosa negra do cabelo cacheado’

Após ter sido condenada a uma pena de mais de 5 anos por assalto a ...

Como saber se fui aprovado no Encceja?

A prova é aplicada pelo Ministério da Educação (MEC) e serve para avaliar os conhecimentos ...

“Negar e silenciar é confirmar o racismo”, diz o técnico Roger Machado

Roger Machado e Marcão trabalharam usando camisa do Observatória de Discriminação Racial no Futebol — ...

Primeiro-ministro da Etiópia ganha Nobel da Paz 2019

Por sua iniciativa decisiva para solucionar o conflito de fronteira com a vizinha Eritreia, no ...

Garoto fã dos garis é homenageado em Salvador pela Limpurb

Fotos: Jefferson Peixoto – Secom O pequeno Guilherme Carvalho, de seis anos é apaixonado pela ...

Itália deve ganhar observatório contra racismo no esporte

Está prevista para março de 2020 a criação de um observatório contra o racismo no ...

Bolsonaro veta obrigação de hospitais de notificar suspeitas de violência contra a mulher

Foto: Fábio Motta / Estadão Conteúdo O Senado Federal recebeu o comunicado do presidente Jair ...

SOMOS TODOS CORINGA!!

Por Sérgio São Bernardo Coringa é um filme aparentemente simples e fácil. Complexo e difícil ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *